[Especial] Vingadores Vs. X-Men: Consequências!

[Especial] Vingadores Vs. X-Men: Consequências!

Arcos Principais: Mini.
Publicação Original/ Brasil: Avengers Vs. X-Men: Consequences #1-5 (Marvel, 2012)/ Vingadores Vs. X-Men #7 (Panini, 2013).
Roteiro/ Arte: Kieron Gillen/ Tom Raney, Steven Kurth, Scot G. Eaton, Mark Brooks, Gabriel Hernandez Walta.

Em 2012 a Marvel instaurou o caos com o evento Vingadores Vs. X-Men, colocando uma equipe contra a outra em nome da Força Fênix, que estava a caminho da Terra. Enquanto os mutantes, liderados por Ciclope, acreditavam que sua presença seria o renascimento da espécie; os Maiores Heróis da Terra acreditavam o oposto, que sua vinda destruiria o planeta. O evento foi narrado na saga principal, em 13 edições, e se estendeu por diversas revistas, das quais resenhei três: Fabulosos X-Men, Wolverine e os X-Men e X-Men Legado. 43 edições depois (47, se contar o prelúdio Sanção X), minha visão do evento tem seus altos e baixos, com momentos que foram muito interessantes e outros que foram péssimos. Mas a sensação de que o Ciclope estava certo, isso não mudou! E pra fechar as pontas e abrir caminho pra fase Marvel NOW (e ganhar mais trocados em cima), a editora publicou a mini em cinco edições Consequências, mostrando o que aconteceu ao Ciclope. Pensei que seria algo bem qualquer coisa, mas me surpreendi! Review com spoilers.

AS CONSEQUÊNCIAS

No final de Vingadores Vs. X-Men, a Fênix se dissipou e Ciclope foi preso, respondendo por atentado terrorista, além da morte de pessoas como o Professor X. Mas, como ele esperava, a vinda da Fênix realmente despertou o Gene X da população, fazendo novos mutantes surgirem ao redor do globo, causando temor internacional. A mini tem o roteiro do controverso Kieron Gillen, que escreveu o também controverso segundo volume de Fabulosos X-Men, além de criador da série The Wicked + The Divine. Felizmente, gostei muito do que ele fez aqui. Ciclope, agora usando um capacete com visores de quartzo rubi pra barrar suas rajadas, é colocado numa nova ala de uma prisão, destinada aos mutantes. Ele é o segundo preso, sendo o primeiro um ladrão de terceiro escalão que teve seus poderes despertados recentemente, o Jake. A prisão também não é de segurança máxima, como poderia se imaginar, mas sim uma comum. Tudo graças aos planos de um diretor executivo, que colocou coleiras especiais nos dois, sendo a estratégia que adotará daqui pra frente: mutantes com colares inibidores, que dão um curto na pessoa, caso ela use seus poderes. Assim, mutantes poderão ficar em celas convencionais, economizando dinheiro.

Enquanto isso, o Capitão América acredita que uma nova onda anti-mutante pode surgir de toda essa história, e pede ao Wolverine ajuda. Eles precisam encontrar o restante da Equipe Extinção, mostrar ao mundo que a história acabou. E com apenas a Emma presa, Steve acha que o único meio possível é tentar convencer o Ciclope de que isso é preciso, que ele tem que pedir pros outros se renderem. O tom da mini é o mesmo que já estamos acostumados a ver em histórias envolvendo prisão, como os prisioneiros barra-pesada, a vingança, o medo de ser deixado sozinho etc. Jake, por exemplo, despertou seus poderes numa briga, ferindo um brutamontes e atraindo sua atenção. Numa cena, esse brutamontes e alguns capangas cercam os dois. O Ciclope tá sem os poderes, mas continua sendo o exímio líder que sempre foi, conseguindo arrebentar todo mundo no cacete. Nesse interim, temos um excelente momento: o cara confessa ao Ciclope que adorou se descobrir mutante, que tem um dom, que não é mais alguém comum; e isso abre um sorriso na cara do Scott, validando tudo o que ele fez.

O Wolverine chega a conversar com ele, dizendo que a Equipe Extinção precisa se entregar, porém não diz mais detalhes e nem onde Emma está. Ciclope, de primeira, pensa em ser um mártir, conseguindo a raiva do Logan, que liga o foda-se e manda ele se danar. Mas logo percebemos que ele tem um plano, que está usando de uma ferrugem guardada num saquinho pra se comunicar com alguém, ainda um mistério. Numa outra cena, também muito boa, ele diz que pode ser um preso político, mas não criminal. Que aguardará seu julgamento (mas logo muda de opinião, felizmente!). Outros pontos que vão se desenvolvendo são Esperança tentando procurar o Cable, que sumiu, a nova formação dos Vingadores, com a Carol Danvers no uniforme de Capitã Marvel, o conluio da Agente Brand com o Magneto, ajudando-o a se esconder e confessando que sua metade humana é mutante. Emma também está presa, se lamentando por ser a primeira vez que isso acontece, que nem na época em que era vilã utilizou macacão e ficou sem salto.

Cada uma das cinco edições é desenhada por um artista diferente, como Scot Eaton (Aquaman Rebirth) e Gabriel Hernandez Walta (O Visão), mas todas com as cores de Jim Charalampidis (Geração Esperança), que conseguem homogenizar os diferentes estilos e são excelentes, meio translúcidas, com destaque para as cenas em que Ciclope surge com close no capacete, dando um ótimo contraste, além de uma estética que lembra a história curtinha dele em A Era X, que coincidentemente também foi desenhada pelo Walta. Um outro ponto que gostei na mini são alguns diálogos, em especial quando a Tempestade encontra o Colossus e o Magneto. Em vez de termos aqueles diálogos infinitos e moralistas, sobre a ética heroica e tudo o mais, temos algo bem mais ácido. O Colossus está furioso com sua irmã, Magia, dizendo que se a vê por aí, irá matá-la; além de ter ligado o foda-se pra geral. O Colossus falando isso, que sempre foi o coração mole da equipe! E a Tempestade tenta fazer um joguinho com o Magneto, que logo pede pra ela parar, pra ela perceber com quem ela tá falando, logo ele.

O clímax da edição ocorre quando Jake é morto pelo brutamontes, com o Ciclope percebendo que ali, preso, ele não terá serventia nenhuma. Que a mutandade ainda depende dele, agora mais que nunca. Ele pede ajuda e descobrimos seu amigo oculto: Magneto; que, junto de Magia e Perigo (que triozão, bixo!) decidem que é hora de agir, num momento WOW de ser! Eles derrubam a prisão e resgatam Ciclope. Adorei. A Magia aproveita pra mandar o brutamontes e sua gangue pro limbo e Perigo marca o rosto do diretor com um enorme X, mostrando que ninguém está pra brincadeira. Assim que eu gosto! Lendo alguns reviews, muitas pessoas não gostaram desas edições, principalmente pela atitude fanática do Ciclope. Alguns pontos eu achei desnecessários, como o plot da Esperança, mas o jeito com que o magrão lidou com as coisas, pra mim, é o ponto alto, não baixo. Os mutantes sempre foram escorraçados, já estava na hora de retomarem uma equipe de contra-ataque, já que tanto o Magneto quanto a Mística, que faziam esse papel mais extremista, estavam em campos diferentes. Muitos também não curtem a ideia do Ciclope, outrora líder e herói exemplar, resolver sair da prisão e não pagar pelo que fez. Polêmico, mas curti.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comments

comments

Estudante de Artes, consumidor compulsivo de HQs, amante da psicodelia, sonhos, nonsense, teorias da conspiração e colagens. Um mutante. Autor da Central dos Sonhos. + www.filfelix.com.br