[Especial] X-Men: Supernovas e Infecção Primária!

[Especial] X-Men: Supernovas e Infecção Primária!

X-Men Supernovas Destaque 1

Arcos: Super Novas (Supernovas), Infecção Primária (Primary Infection) e Condição Crítica (Red Data)
Publicação Original/ Brasil: X-Men #188 à #199 (Marvel, 2006)/ X-Men #69 à #76 (Panini, 2007).
Roteiro/ Arte: Mike Carey/ Chris Bachallo & Humberto Ramos

X-Men Supernovas e Infecção Primária 7

A mensal X-Men teve uma excelente fase nas mãos de Grant Morrison (WE3) entre 2001 e 2004, que trouxe mudanças drásticas para a mitologia mutante (como a mutação secundária), mas depois disso só foi ladeira abaixo, com uma fase horrível na mão de Chuck Austen (cheia de dramalhões e vilões estilo os Oito Imortais) e outra também duvidosa escrita pelo Peter Milligan (Shade, o Homem Mutável), que tinha feito a ótima X-Táticos, mas que acabou estragando Destrutor e o tornando um dos piores líderes X. Mike Carey (Hellblazer) chega em 2006 com a missão de tirar a mensal do limbo. Além de ter feito o importante Complexo de Messias, o autor mudou o título para X-Men: Legacy e escreveu até 2011! Supernovas foi o seu primeiro ano à frente da mensal, que não foi excepcional, mas muito melhor do que vinha sendo feito pelos outros. Pode conter spoilers pra quem não leu.

SUPERNOVAS

Dentes-de-Sabre, durante uma de suas missões assassinas, descobre o navio/ nave Conquistador e alguns seres que foram gerados ali dentro: os Filhos da Câmara, humanos evoluídos artificialmente por 6 mil anos, desenvolvendo habilidades especiais. A intenção era que, após a Terra passar por alguma catástrofe que eliminasse a raça humana, eles seriam despertos e poderiam repopular o planeta. Porém o Dia M gerou uma falha que acabou por libertá-los antes, com sede de sangue e vontade de aquilar os humanos. Creed, depois de ser atacado e ter seu fator de cura prejudicado, tenta pedir abrigo no Instituto.

X-Men Supernovas e Infecção Primária 8

Os Filhos da Câmara encontram Estrela Polar, que estava dado como morto até então, num tipo de prisão da Hidra. Em seguida impedem Aurora de cometer um suicídio. Agora, sobre o controle dos Filhos, os Gêmeos tem as habilidades mutantes ampliadas e enviados para assassinar Dentes-de-Sabre e destruir o que ficar pela frente, invadindo o Instituto sem serem percebidos pelos Sentinelas, graças à hipervelocidade. As sequências entre os Gêmeos e os X-Men são muito boas!

X-Men Supernovas e Infecção Primária 9

Começando pelo Homem de Gelo, que é vaporizando pelas luzes da dupla! Bob logo descobre que consegue solidificar seu corpo, sobrevivendo ao ataque com a ajuda da Mística. Serafina, uma dos Filhos, também entra no Instituto pra garantir o estrago, utilizando dos poderes da Mestra Mental (em estado de coma), para zoar com a cabeça do Míssil. Tudo parece perdido até que Cable surge e consegue “desligar” a mente de Estrela Polar e Aurora, e o Wolverine perfura Serafina, terminando com a tortura em Sam. Com a poeira abaixando, Creed conta à todos sobre os Filhos da Câmara e sobre o Conquistador, a super nave que está vindo em direção ao Instituto.

X-Men Supernovas e Infecção Primária 11

Mesmo sem o aval total de Ciclope, Vampira monta sua própria equipe para tentar barrar o Conquistador de fazer maiores danos, como acabar com os Novos X-Men, que seriam o futuro da raça mutante. Mística, Cable, Homem de Gelo, Sentinela Ômega e Míssil conseguem, com um pouco de dificuldade, derrotar os Filhos, com direito a Mística matar Sangre, que parecia ser o líder.

X-Men Supernovas e Infecção Primária 12

INFECÇÃO PRIMÁRIA

Esse primeiro arco foi bem legal, conseguindo incluir novos vilões que não beiram ao ridículo como os Oito Imortais. Também deixa os X-Men em situações complicas, com antigos oponentes dentro da mansão e o Conquistador pairando no lugar, nos levando ao arco seguinte: Infecção Primária. Vampira continua líder da equipe e se destaca por isso, sendo uma boa fase para a personagem. Ela reúne novamente a turma que enfrentou os Filhos e resolve ajudar a Mestra Mental, investigando o Hospital onde ela e a Sentinela Ômega estavam presas. E usam o Conquistador como novo meio de transporte, além de prisão temporária de Creed.

Esse mini arco coloca os X-Men contra o Dr. Palance, antigo colega do Profº X e que supostamente teria auxiliado Vampira quando ela descobriu seus poderes. Na realidade, ele tem a capacidade de absorver os dons daqueles que o cercam e já acumulou, com o passar do tempo, cerca de 300 habilidades, como uma espécie de vírus, adotando o nome de Pandemia. Sua ideia é conseguir os poderes da Vampira em sua totalidade, o que o deixará capaz de absorver não só as habilidades das pessoas, mas como toda sua essência. Nesse intuito que abriu o Hospital e vinha fazendo experimentos na Mestra Mental e Shapandar.

X-Men Supernovas e Infecção Primária 13

Os X-Men comem um dobrado com o vilão, que sequestra Vampira e injeta nela um vírus, deixando-a bem debilitada. Cable e Míssil não conseguem sair do Conquistador para ajudar, mas jogam o Dentes-de-Sabre lá de cima, que aterriza furiosamente no prédio, destruindo tudo pelo caminho e conseguindo tocar Pandemia, passando para ele o seu fator de cura. Essa sacada do Mike Carey ficou muito boa, já que Pandemia absorve as habilidades alheias como um vírus, acabando por se auto-curar, voltando à sua forma comum. Mestra Mental aproveita a deixa pra invadir sua mente. Mesmo tendo vencido a batalha, os X-Men precisam levar Vampira para algum lugar, já que está entre a vida e a morte, Cable tem a ideia de viajarem até Providência, a nação modelo que ele comanda, que seria o país mais perto e capaz de ajudá-la.

X-Men Supernovas e Infecção Primária 4

CONDIÇÃO CRÍTICA

O arco seguinte, Condição Crítica, fecha esse primeiro ano de Carey à frente da revista. Enquanto Vampira é tratada pelos médicos da nação, Mística esboça algum sentimento maternal e sofre pela filha. Num momento, ela também desabafa com Homem de Gelo, tentando justificar como se tornou a maior terrorista mutante, a mulher fria que é, logo após a morte de Sina, que era seu amor. Mestra Mental descobre que há algo dentro de sua mente e consegue expelir através de hipnose. É um Mummudrai, seres míticos shiar que seriam o “anti-eu”, que todos enfrentam antes de nascer. Cassandra Nova seria um Mummudrai que, ao contrário dos outros, teria conseguido criar um corpo pra si mesma. Mas esse Mummudrai da Mestra Mental é menos poderoso. Chamado de Ev Teel Urizen, ele vem fugindo de uma criatura shiar que se alimenta de almas por séculos, o Hecatombe, chegando agora na Terra e trazendo consigo o estranho ser. Como instinto de sobrevivência, ele se une à Cable para tentar impedir Hecatombe de destruir Providência e tirar as almas das pessoas.

X-Men Supernovas e Infecção Primária 5

Hecatombe, apesar de virtualmente intangível, possuí um núcleo que armazena toda sua energia. Mas ninguém consegue destruí-lo e a única maneira imaginável de derrotá-lo seria arremessar o Conquistador, com Dentes-de-Sabre e tudo, em cima dele, o que geraria uma explosão capaz de afundar a Ilha. Para o plano dar certo, o Homem de Gelo cria uma enorme barreira de gelo para conter o fogo da explosão numa cena muito boa! Mas o monstro ainda vive, apesar de imobilizado. E Cable aposta sua última carta: desperta Vampira de seu estado, com poderes ampliados pelo vírus de Pandemia. Ela, furiosa, adentra Hecatombe e o mata ao tocar seu núcleo, além de absorver as “almas” dos milhares que ele devorou. Insana, Vampira declara vitória à batalha.

X-Men Supernovas e Infecção Primária 2

A arte de Chris Bachalo (Shade, o Homem Mutável) é incrível, dinâmica e rápida, assinando o primeiro e o terceiro arco deste review. Todas as cenas de ação feitas por ele ficaram sensacionais, com destaque para o casulo de gelo feito pelo Bob e toda a sequência dos Super Gêmeos Aurora e Estrela Polar. Infecção Primária foi desenhada por Humberto Ramos, com uma pegada mais cartoon que não sou tão fã, mas ainda manteve a qualidade. Esse primeiro ano de Mike Carey foi bastante promissor, graças principalmente pelas batalhas. Pandemia e os Filhos da Câmara não se tornaram grandes vilões, assim como Hecatombe, mas renderam histórias mais empolgantes que a odisseia Ascensão e Queda do Império Shiar, que acontecia paralelamente em Uncanny.

X-Men Annual 2007 2

ANNUAL 2007

Nesse anual especial, vemos os desdobramentos que os Gêmeos Aurora e Estrela Polar tiveram, após controlados pelos Filhos da Câmara e nocauteados por Cable. Vampira, Gambit e Mística vão até a SHIELD pedir ajuda, pelo menos de material, para recuperarem a consciência da dupla, conectando-os numa máquina capaz de limpar e resgatar suas memórias. O autor aproveitou pra nos mostrar um flashback da vida dos dois. A calmaria é interrompida pela chegada de Exodus liderando os vilões Random, Frenesi e Tempo, desconectando-os da máquina e iniciando uma porradaria no aeroporta-aviões.

X-Men Annual 2007 1

Exodus quer replicar a Cérebra, na tentativa de encontrar possíveis mutantes. Ele até consegue criar um protótipo com as ferramentas da SHIELD (que rápido, não?), mas não encontra ninguém. Quer dizer, se nem mesmo o Charles tinha localizado novos mutantes, Exodus conseguiria com uma geringonça?  Por favor…. Depois de algumas porradas, até mesmo com os Beaubier semi-despertados e Mística ajudando a salvar a vida de Vampira, Exodus parte em retirada. Maria Hill, a chefe da SHIELD no momento, fica furiosa com a briga e com os X-Men, soltando um “seu povo” só causa problema. Pegou pesado!

nota 8,0 ;

Essa cena é incrível.

Essa cena é incrível.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comments

comments

Estudante de Artes, consumidor compulsivo de HQs, amante da psicodelia, sonhos, nonsense, teorias da conspiração e colagens. Um mutante. Autor da Central dos Sonhos. + www.filfelix.com.br