[Especial] Wolverine e os X-Men: Bem-Vindos e Parabéns! É Uma Ninhada!

[Especial] Wolverine e os X-Men: Bem-Vindos e Parabéns! É Uma Ninhada!

Arcos Principais: Bem-Vindos aos X-Men! Agora Morram! (Welcome to X-Men! Now Die!) e Parabéns! É Uma Ninhada (Mutatis Mutandis).
Publicação Original/ Brasil: Wolverine and The X-Men #1-8 (Marvel, 2011)/ Wolverine #98-102 (Panini, 2013).
Roteiro/ Arte: Jason Aaron/ Chris Bachalo, Tim Townsend e Nick Bradshaw.

Wolverine e os X-Men foi uma série nova, criada no fim de 2011, ocorrendo logo após o Cisma Mutante, quando Wolverine e Ciclope brigaram, acabando por tomarem rumos diferentes. Enquanto Ciclope escolheu permanecer na Ilha Utopia, Wolverine reuniu amigos e voltou pra Westchester, a fim de restaurar a mansão, que havia sido destruída em Complexo de Messias, fundando a nova Escola Jean Grey Para Estudos Avançados, levando alguns dos alunos mais jovens pra lá. O primeiro arco, Bem-Vindos aos X-Men! Agora Morram!, mostra como reergueram o Instituto e como estão se adaptando, enquanto o segundo, Parabéns! É Uma Ninhada!, traz velhos inimigos dos X-Men. Um começo legal, engraçado e promissor, trazendo aquele gostinho de “sala de aula” que o Morrison tinha feito, com alunos bizarros e tudo o mais. Review dos dois com spoilers!

BEM-VINDOS AOS X-MEN! AGORA MORRAM!

Wolverine, Kitty, Homem de Gelo, Fera e Rachel reconstroem o Instituto, agora chamado de Escola Jean Grey Para Estudos Avançados, homenageando a falecida Fênix e sendo os diretores e professores. O local é totalmente diferente do que era a Mansão, com vários espaços específicos e uma estética também inusitada, lembrando Utopia. O legal é que temos de volta aquele clima de escola que o Grant Morrison fez com a Classe Especial do Xorn, que tinha alunos problemáticos. E os alunos principais são bem interessantes: temos o rebelde Kid Ômega, que já causou uma rebelião no passado; Oya, a nova protegida do Wolverine, cheia de problemas; Nim, uma cria mutante e amigável da Ninhada; o clone criança do Apocalipse, Evan Gênesis; e o recém enviado Príncipe Shiar, Kid Gladiador e sua guarda-costas, Warbird. Um grupo bem diversificado, com destaque por não serem apenas humanos mutantes. Logo no início o Professor X caminha com o Wolverine, que pede dicas de como dirigir a nova Escola. E Charles está todo irônico, dizendo que só precisa tomar cuidado pra não explodir a qualquer momento. E não é que o careca tem razão?

Não é uma escola X se não tiver um ataque em massa logo no primeiro dia, não é? E pra piorar, Kitty está recebendo dois agentes educacionais que vieram averiguar o local, pra dar o aval do Governo. Eles não gostam nada, achando tudo muito perigoso. A Sala de Perigo agora não é apenas um lugar isolado, mas toda a estrutura da Escola. E os agentes acham isso perigoso demais. O ataque vem das crianças do novo Clube do Inferno, que querem destruir os mutantes a qualquer custo, criando uma espécie de clone da Ilha Krakoa bem abaixo do terreno da escola. Ela começa a se movimentar, causando terremotos (controlada pelas crianças) e atacar os alunos, além do próprio Clubinho enviar soldados Zumbis-Frankensteins assassinos. Jason Aaron (Poderosa Thor) faz um ótimo trabalho, apresentando os personagens principais, seus conflitos e dramas internos, além de já contextualizar quem são os inimigos, fora trabalhar com Wolverine sendo um diretor, algo que ninguém imaginaria. O resultado desse primeiro arco é uma história bem simpática, com vários destaques. O Groxo, por exemplo, agora atua como zelador. Os novos Nim e Kid Gladiador são carismáticos, rendendo bons momentos. A cria da Ninhada, numa cena, se interessa por Oya, que anda mais no mundo da lua que qualquer coisa, enquanto Kid Ômega se acha bom demais pra ajudar os alunos, mas se irrita ao ver Kid Gladiador sendo bajulado, ficando com ciúmes.

A arte é de Chris Bachalo (Shade: o Homem Mutável), naquele estilo mais cartoon, com cenas panorâmicas ótimas e super dinâmicas, como só ele faz. Reforçando a ideia de diversidade, o Kid Ômega acaba por enfrentar Krakoa e descobre que ela está sob o comando do Clubinho, se identificando com ela e a ajudando. No fim das contas a própria Krakoa, que é o terreno da Escola, se torna um “aluno” especial. Já que ela também é mutante. Achei uma sacada genial do Aaron. Mais perto do fim chega Gênesis, acompanhado de Deathlock, que veio dar uma palestra, mostrando a probabilidade do que cada aluno poderá se tornar no futuro, ficando em silêncio quando chega em Gênesis. Ele viu os X-Men sendo massacrados por ele, já em sua forma de Apocalipse. Outro ponto bacana é que o Anjo, depois da Saga do Anjo Negro, “renasceu” num corpo sequelado, sem lembrar de nada e pensando ser um salvador. Wolverine o considera uma criança e aproveita pra incluí-lo na turma também. É engraçado.

PARABÉNS! É UMA NINHADA

O segundo arco começa na edição #5, mas desde a #4 o novo desenhista é Nick Bradshaw (Spidey), substituindo Chris Bachalo. Ele mantém o clima cartoon, mas tem um traço mais estilizado que deixa alguns personagens meio feio, demorando pra gente se acostumar. Devido à amnesia do Anjo, ele acaba sendo afastado de sua própria empresa, que passa a ser comandada pela alta cúpula dos administradores, todos comprados pelo Clubinho do Inferno. Esse segundo arco tem duas situações caminhando simultaneamente. A primeira é que o Fera, utilizando das partículas Pym, encolhe as crianças e entram no corpo do Groxo, pra entender o Gene X de perto. Enquanto isso, Wolverine descobre que não tem mais dinheiro pra usar e resolve pegar o Kid Ômega e levá-lo até o Planeta Pecado, onde funciona um grande Cassino alienígena.

O arco vai se desenvolvendo nessas duas frontes. Na Terra, a Kitty aparece grávida do dia pra noite e o Fera descobre que não tem nenhum bebê ali, ela não será a próxima Carol Danvers. Na verdade, são milhares de minúsculas Ninhadas em sua barriga, a comendo de dentro pra fora. Bizarro! Assim, ele aperta o sinal vermelho, com todo mundo se escondendo, e parte pra dentro da Kitty, levando Rachel, Kid Gladiador e cia., utilizando das partículas Pym. Já no espaço, Kid Ômega utiliza de seus poderes telepáticos pra levar vantagem sobre os oponentes e pra dar dicas ao Wolverine, ganhando vários dinheiros. E ao mesmo tempo (sim, são várias coisas acontecendo!) tem um alien troglodita que cai na escola, atrás de Nim, considerando-0 um erro genético, precisando ser eliminado. Nesse meio termo temos algumas cenas interessantes. Começando com Wolverine dando um coice no Quentin, dizendo que apesar dele possuir poderes de nível “ômega”, ele só causou uma rebelião e uma crise internacional isolada, algo que o próprio Wolverine já tinha feito quando adolescente! Toda a parada da Kitty, fazendo a Grávida de Taubaté, também é mega curioso, mas de um jeito bom. É tenso vê-la brigando com um barrigão e descalça. O próprio Nim se destaca, tendo um momento de ira e cortando um pedaço da cabeça (ou cabelo?) do alien troglodita, mostrando que não é tão pacífico assim.

O final é meio cômico, com Wolverine e Kid Ômega sendo pegos pelos guardas do Cassino, que diga-se de passagem é bem colorido e legal. Eles usam uma arma especial no Wolvie, quebrando suas pernas! É hilário. Já o Quentin consegue materializar um revolver, usando uma técnica semelhante a da Psylocke (que cria adagas). Aliás, ele é um dos personagens que mais se destaca nesse início, sendo muito bom. A última edição (#8) é destinada ao Clubinho enviando o Dentes-de-Sabre ao espaço pra assassinar a Agente Brand, pra chamar a atenção do Fera (que é seu namorado). Interessante que o Creed fala que o Fera é mais selvagem que o Logan, além de mais poderoso, só que se rende ao coração. E a luta espacial dos dois é boa! É sempre ótimo ver o Fera se descontrolando e provando não ser só o cientista chato que se tornou. Um ótimo início, com dois arcos divertidos e leves de se ler, com personagens carismáticos e plots interessantes, com algumas saídas muito inusitadas, saindo da mesmice que vinha tomando conta das séries X, dando um gás. Quer dizer, Krakoa como X-Men? Uma Ninhada mutante? Um Principe Shiar? Sem dizer que a Escola está infestada de Bamfs, que são pequenos gremlins-demoniacos parecidos com o Noturno. Eles fazem a zorra! Claro que tem seus probleminhas, como a já esperada destruição da Escola, que é de praxe; e a arte não tão convidativa do Bradshaw. O Anjo dele, por exemplo, parece que não tem pescoço e um adolescente, sendo que tá no mesmo nível do Homem de Gelo, Fera e Ciclope, já que é um dos X-Men originais. O problema com dinheiro também é resolvido de maneira interessante, mas meio “Deus Ex Machina“: Krakoa cria árvores que dão diamantes como fruto.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comments

comments

Estudante de Artes, consumidor compulsivo de HQs, amante da psicodelia, sonhos, nonsense, teorias da conspiração e colagens. Um mutante. Autor da Central dos Sonhos. + www.filfelix.com.br