[Review] X-Men Extra #65, #66 e #67!

[Review] X-Men Extra #65, #66 e #67!

X-Men Extra #65 Panini X-Men Extra #66 Panini X-Men Extra #67 Panini

Nome Original: Exiles #63 ao #67; X-Men: Deadly Genesis #5 e #6; X-Men: The 198 #5; New Excalibur #5 ao #7; Astonishing X-Men #13
Editora/Ano: Panini, 2007 (Marvel, 2006)
Preço/ Páginas: R$6,90/ 100 páginas cada
Gênero: Ação/ Super-Herói
Roteiro: Tony Bedard; Ed Brubaker; David Hine; Chris Claremont; Joss Whedon
Arte: Mizuki Sakakibara & Jim Calafiore; Pete Woods & Trevor Hairsine ; Jim Muniz; Steven Cummings & Michael Ryan; John Cassaday
Sinopse: Exilados: a equipe finalmente descobre porque o Corretor do Tempo os reuniu. Novo Excalibur: Capitão Britânia e cia. enfrentam o retorno de Black Tom Cassidy. Os 198: Sr. M é atacado na última história da mini. Gênese Mortal: Charles reaparece e conta aos X-Men a verdade sobre Vulcano e o resgate em Krakoa. Surpreendentes X-Men: Emma Frost está metida com o Clube do Inferno.

***

A vida dos mutantes depois da Dinastia M ficou bastante bagunçada e as minisséries Gênese Mortal e Os 198 tentam trazer alguma luz no fim do túnel. Ambas chegam ao fim nessas edições de X-Men Extra e se saíram melhor do que esperava. Com isso temos a volta de Surpreendentes em sua “2ª temporada”. Exilados continua ótimo como de costume e Novo Excalibur não sei, tenho a impressão que ainda não se encontrou.

X-Men Deadly Genesis #5

Gênese Mortal: nessa mini tivemos de volta dos mortos o Vulcano, um ex-aluno do Professor e da Moira na época em que os X-Men originais foram presos em Krakoa. Ninguém sabia dele ou de sua equipe, que era formada ainda pelos mutantes Petra, Reprise e Darwin. Esse seria um dos grandes segredos de Charles. No passado, quando soube que Ciclope e cia. foram aprisionados, ele formou junto de Moira uma nova equipe para realizar o resgate, realizando um treinamento relâmpago dentro da mente deles e os enviando para quase uma missão suicida.

X-Men Deadly Genesis #6

Importante comentar que isso muda bastante coisa na mitologia dos X-Men. Até então, pensávamos que o grupo da Tempestade havia sido o primeiro a ir resgatar a equipe original. Outro detalhe é que Vulcano (Gabriel) é um irmão perdido de Scott e Alex, sequestrado pelo shiar D’Ken ainda recém nascido e escravizado. Que bagunça! No presente, Vulcano reúne boa parte dos X-Men e consegue encontrar o Professor, que agora pode andar porém perdeu seus poderes com o Dia M. Rachel entra em sua mente para mostrar ao restante do grupo a verdadeira história de Krakoa, com a morte da equipe de Moira. Porém, graças aos poderes adaptativos de Darwin e os últimos suspiros de Petra e Reprise, Vulcano permaneceu vivo de alguma forma, sendo reanimado recentemente.

O fim da mini é muito bom, abrindo diversas possibilidades. A primeira é que, após o enterro simbólico de Petra e Reprise, Scott expulsa o Professor de sua própria casa, já que ele é o diretor agora. Darwin começou a se regenerar e, pelo visto, poderá fazer parte da equipe. Vulcano, irado pela história do rapto shiar, voa ao espaço e desaparece.

X-Men The 198 #5 1

Os 198: outra mini interessante que também chega ao fim. Após o Dia M, estima-se que existam apenas 198 mutantes ativos no mundo. O Governo acredita, então, que todos precisam de proteção e são enviados para a Mansão X, como forma de conter todos. Isso gera várias leituras e foi uma das melhores histórias recentemente, com a alusão ao nazismo e campos de concentração. Nesse final, Absolon Mercator (Sr. M) segue com alguns mutantes para fora do Instituto, contrariando todas as regras. Ele é visto como um salvador para os demais. Os X-Men tentam impedi-lo, sem muito sucesso. Johnny D oferece seus dons ao Governo, para ajudar na captura do Sr. M, e eles aceitam.

X-Men The 198 #5 2

Fiquei um pouco frustrado com o final das coisas, pois D manipula Sanguessuga para anular os dons de Absolom e em seguida manipula Magma, para queimá-lo vivo. Uma morte um tanto tosca para um mutante nível ômega que, mesmo depois de morto, consegue entregar um presente aos 198. A arte de Jim Muniz (Marvel Knights 4) é bonita, mas em alguns momentos você não sabe o que exatamente está acontecendo. A batalha, em si, é meio confusa.

New Excalibur #5

Novo Excalibur: falando em confusão, não sei onde essa nova formação de Excalibur quer chegar. São tantas coisas acontecendo, típico do Claremont contemporâneo, que muitas vezes você lê sem saber exatamente o fio da meada. Capitão Bretanha reuniu Nocturna, Cristal, Fanático, Sábia e Pete Wisdom para atuarem em seu país, mas as adversidades são TANTAS, que mal dá pra contar. Começando pelos X-Men originais sombrios, comandados pelo Professor X sombrio…. Really, queen? Quando pensamos que eles tinham sido eliminados, eis que Charles sombrio volta para perturbar Sábia…

New Excalibur #6

Ao mesmo tempo, temos Coração de Leão furiosa com o Capitão, chamando o reforço de Álbion. Não sei de onde saíram os dois, mas podiam voltar. É o típico “novo vilão chega no pedaço detonando tudo, não importando os motivos”. Logo em seguida a equipe investiga um atentado terrorista à uma estação de trem, efetuado possivelmente por um herói que perdeu os poderes no Dia M e está P da vida. Além do Charles sombrio, temos Black Tom Cassidy: o antigo amigo de Fanático, que havia sofrido uma mutação secundária horrorosa e se tornou um homem-planta. Porém ele também perdeu os poderes, mas não a criatividade: ele agora possui um cajado que dispara raios e uma máquina com tentáculos robóticos, atacando no mesmo atentado. Mas como Claremont gosta de mais, ele também coloca na cena a misteriosa equipe Ar Negro. É tanta coisa…

New Excalibur #7

O final é menos ruim, vemos que Cain realmente se redimiu e agora pode ser considerado um x-men de verdade. Ele consegue interceptar Black Tom e uma refém, com tudo acabando em paz, sem nenhuma perda. Os X-Men sombrios finalmente foram derrotados, pelo menos aparentemente, e o Novo Excalibur está formado. O ponto alto dessa série parece ser a Cristal, uma personagem meio apagada e que agora ganha mais notoriedade. Os poderes dela são legais, tanto visualmente quanto em batalha, espero que saibam usar isso. Ah, parece que ela adquiriu alguma mutação secundária com o Dia M ou algo do tipo, pois a menina já ressuscitou umas 7 vezes depois que surgiu na série…

Exiles #63

Exilados: de longe, uma das séries X mais divertidas (e boas) dessa época, ao lado dos X-Táticos, que estrearam na mesma edição. Os Exilados chegam ao fim de uma grande fase, que vinha desde a primeira edição em X-Men Extra #7. Eles finalmente descobrem o que é o Corretor do Tempo, que não passa de um simulacro. Resumindo: uma raça alienígena que se assemelha a insetos havia descoberto uma base abandonada entre o espaço-tempo, chamada de Panópticron, capaz de observar todas as milhares de realidades alternativas. No início eles planejavam apenas mapear essas realidades, mas acabaram alterando muitas delas. Decidiram reunir os Exilados e Arma X para tentarem corrigir essa bagunça, usando do Corretor como isca para isso. Agora o lugar está dominado pelo Hipérion, que deseja destruir todos e tudo.

Exiles #64

As lutas entre os Exilados e Hipérion são ótimas. Numa delas, Blink transporta um pedaço do deserto para dentro do vilão! Num outro momento, temos Namora (que é a melhor exilada EVER), saindo do mar e capturando o grandalhão numa das cenas mais épicas da série. Os insetos resolvem ressuscitar o Bico do mural de estase, pois o consideram a única salvação, e ele realmente faz jus ao pedido: trazendo dois Hipérions de duas realidades distintas, para se matarem, tornando o Palácio uma zona de guerra.

Exiles #67

O fim dessa “fase” é muito boa, enviando o vilão para sua terra natal, onde não há mais humanidade nem nada. Mas há baixas, infelizmente… Namora é morta, Mímico fica gravemente ferido e entra em estase no mural. Morfo também se fere, mas consegue se recuperar. Mesmo com tudo resolvido, a equipe decide permanecer no Palácio e tentar ajudar os insetos a consertarem as outras realidades, além de enterrarem os seus, começando pela Noriko, num momento muito bonito. Só há uma certa confusão em quem volta do mural e quem está morto, porque a Sasquatch (agora sem poderes) também retorna à equipe. A primeira missão da fase nova consiste em ir à uma realidade dominada por monstros para conseguirem um soro de cura para o Mímico. Tive a impressão da narrativa ter ficado mais lenta, mas vamos ver no que vai dar.

Astonishing X-Men #13

Surpreendentes X-Men: a nata das séries X volta em sua “segunda temporada” na edição #67, depois de um pequeno hiato. Não há grandes acontecimentos, porém continua rápida e certeira, o que é ótimo. O grande destaque fica por conta de Emma Frost, num flashback: descobrimos que ela havia feito um pacto com Cassandra Nova antes do massacre em Genosha. A velha despertou sua mutação secundária de pele de diamante, para que sobrevivesse à catástrofe, em troca de algo ainda não informado (provavelmente para manter Nova viva). No presente, Emma reúne a nova formação do Clube do Inferno, ainda com Shawn, mas também com Nova e outros dois membros novos. Quero ver como vão explicar essa volta dos mortos (só nesse review já foram umas 15 ressuscitações…). Interessante que o grupo se reúne na própria Mansão, parece que vão iniciar algo.

Boas edições de X-Men Extra, principalmente por Exilados. O fim de Gênese Mortal e Os 198 também não ficam atrás, com boas sacadas para os eventos pós-Dia M, dando uma renovada nas tramas. Surpreendentes também promete algo e, como de costume, vamos ver para onde Novo Excalibur está indo pois, particularmente, me parecem meio perdidos.

nota 7,5 h

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comments

comments

Estudante de Artes, consumidor compulsivo de HQs, amante da psicodelia, sonhos, nonsense, teorias da conspiração e colagens. Um mutante. Autor da Central dos Sonhos. + www.filfelix.com.br