[Review] X-Men Extra #56, #57 e #58!

[Review] X-Men Extra #56, #57 e #58!

X-Men Extra #56 X-Men Extra #57 X-Men Extra #58

Nome Original: Exiles #55 ao #57; Astonishing X-Men #11 ao #12; Excalibur #14; X-Men: Kitty Pryde – Shadow & Flame #4 ao #5; Mutopia X #1 ao #2; X-Men: Phoenix Endsong #1 ao #2
Editora/Ano: Panini, 2006 (Marvel, 2005)
Preço/ Páginas: R$6,90/ 100 páginas cada
Gênero: Ação/ Super-Herói
Roteiro: Chris Claremont; Joss Whedon; Tony Bedard; Akira Yoshida; David Hine; Greg Pak
Arte: Aaron Lopresti; John Cassaday; Jim Calafiore; Paul Smith; Lan Medina; Greg Land
Sinopse: Surpreendentes X-Men: a equipe enfrenta Perigo em Genosha! Exilados: numa realidade medieval, enfrentam o encanto de Kulan Gath. Excalibur: Charles pede ajuda ao Doutor Estranho para recuperar a mente da Feiticeira Escarlate. A Derradeira Canção da Fênix: a Força Fênix retorna para ressuscitar o corpo de Jean Grey. Kitty Pryde – Fogo e Sombras: Lince enfrenta o Samurai de Prata. Mutopia X: na realidade de Dinastia M, um policial enfrenta dificuldades com a supremacia mutante.

***

Nada menos que 6 séries diferentes nessas três edições de X-Men Extra! Assim, o mix sofre algumas alterações: Surpreendentes X-Men finaliza sua “1ª temporada” de 12 edições e só volta em X-Men Extra #67; Excalibur chega ao fim, culminando em Dinastia M; a mini Kitty Pryde – Fogo e Sombras também chega ao fim; e temos a estréia de Derradeira Canção da Fênix e Mutopia X, ambas minis de 5 edições. Apenas Exilados permanece firme e forte.

Excalibur #14

Excalibur: essa série não tem relação com a antiga “Excalibur”, equipe composta por Noturno, Capitão Britânia e cia., foi apenas um meio de Chris Claremont levar Xavier de volta à Genosha e encontrar com o verdadeiro Magneto, dando início aos planos de Dinastia M. Desde o começo não foi minha série preferida, sendo um tanto arrastada em quase todas as edições. Depois de 14 números ela chega ao fim, com uma história sobre o passado de Charles. O Doutor Estranho acaba entrando na mente dele e de Wanda para tentar entender o que está havendo e salvar a vingadora. Um pouco confusa, já que se trata do plano astral e não dá pra ter certeza o que realmente foi real ou apenas imaginação, mas interessante por mostrar um pouco de seu passado.

Astonishing X-Men #11

Surpreendentes X-Men: com essa edição a série entra num pequeno hiato e só volta em XE #67. Temos o fim do arco com Perigo que, diga-se de passagem, foi um dos melhores nessa época. A máquina chega em Genosha pra acabar com seu “pai“, mas é pega de surpresa com um Charles motorizado e destruidor. Essa cena foi incrível. Os Surpreendentes chegam para auxiliar, mas Perigo transfere parte de sua “mente” para um dos Sentinelas Gigantes que destruiu Genosha e permanecia adormecido no fundo do oceano. Kitty consegue defender os amigos do robozão, deixando-os intangíveis, e invade seu coração para desestruturá-lo.

Astonishing X-Men #12

Há vários pontos interessantes nesse fim de temporada. A primeira se trata de Emma Frost, que saiu no meio da batalha para se encontrar com vozes suspeitas, para depois descobrirmos que são Sebastian Shaw, Cassandra Nova (dada como morta até agora) e mais duas figuras que não reconheci. Será que toda essa história de Emma boazinha não passou de um truque? Outra ideia legal desenvolvida pelo autor é a de uma nova espécie surgida quando Perigo toma consciência. O fato ainda dará pano pra mangá, já que Charles sabia da situação e escondeu da equipe, deixando todos putos da vida.

Exiles #55 Exiles #56

Exilados: única série que permanece praticamente intacta mesmo com a Dinastia M (pelo menos até agora), num arco fechadinho. A equipe é transportada para a Idade Média, dando de cara com versões camponesas e guerreiras dos super-heróis. Eles mesmos não possuem lembrança de quem eram, incorporando novas personas, pra depois descobrirem que estão em NY, tomada por um feitiço de Kulan Gath e transformando-a numa Idade Média. O legal é que o vilão era, na verdade, um personagem de Conan – O Bárbaro lá da década de 1970, sendo agregado ao Universo Marvel e aparacendo em algumas histórias desde os anos 1980. Recentemente, porém, a Marvel perdeu os direitos sobre Conan, Red Sonja e cia., deixando o personagem com a Dynamite.

Exiles #57

Nesse arco, Kulan perde seu colar (que dá o direito de comandar a ilusão) para o Motoqueiro Fantasma, em sua forma demoníaca. E cabe aos Exilados retornar Kulan ao seu trono. Aparecem diversos personagens como Selene, Moebius, Wendigo e Lobisomen. Eles são auxiliados por Homem-Aranha e Magia que, com sua espada, consegue quebrar o encanto das pessoas. O destaque fica para a Sasquatch: temos um flashback de como conseguiu seus poderes, a partir de um acidente numa base científica, onde fez um pacto com o demônio Tamarak, que agora exige sua forma de volta. Uma reviravolta na equipe, pois o novo integrante só quer saber de voltar pra sua realidade, pouco se importando com os demais. Quase uma Namora 2.0 (que, aliás, é uma das melhores personagens da equipe).

X-Men Kitty Pryde - Shadow & Flame #4 X-Men Kitty Pryde - Shadow & Flame #5

Kitty Pryde – Fogo e Sombras: chega ao fim essa mini com a Lince no Japão enfrentando figuras de seu passado. Depois de revelado que Ogun era Nao, uma antiga discípula dele que queria Kitty no comando da Trilha do Destino, a x-man é chantageada e ameaçada. Para defender seu dragão, decide ir na residência do Samurai de Prata pegar sua espada, enfrentando-o num duelo e aparentemente matando-o. Claro que tudo não passa de uma armação para pegarem Nao e os outros ninjas, numa emboscada. Nada muito surpreendente no final, com Kitty e Lockheed voltando para casa. Não gosto muito dessas histórias no Japão, como as protagonizadas pelo Wolverine e Tempestade, tenho a impressão que são sempre a mesma coisa. O legal é que o roteirista Akira Yoshida é japonês e traz diversas referências interessantes. Ele já trabalhou em arcos do Wolverine e Demolidor, também ambientados por lá.

X-Men Phoenix Endsong #1

Derradeira Canção da Fênix: preenchendo um pouco o buraco causado por Surpreendentes, uma mini roteirizada por Greg Pak (Hulk: Contra o Mundo, Caveira Vermelha: Encarnado) e desenhado por Greg Land (Avante Vingadores, Homem de Ferro) super rápida e bonita de ler. A Força Fênix está perdida após a morte de Jean Grey, tomando a forma de uma libélula para visitar o Instituto e procurá-la. Na realidade, a Força não sabe ao certo o que procura e visita vários x-man. Passando por Ciclope, deixando um trinco em seu óculos durante o sono (culminando num mega raio), até o Fera trabalhando no corpo de Quentin Quire, o Kid Ômega.

X-Men Phoenix Endsong #2

Numa das cenas mais incríveis, a Força tira o cadáver de Jean diretamente da terra e a transforma novamente em carne e osso. Todos os X-Men despertam e chocam-se ao vê-la em seu uniforme vermelho, o da Fênix Negra. Ciclope e Wolverine não pensam duas vezes: precisam matá-la. De novo. Outro ponto importante é que o contato da Força com o corpo em coma de Quentin faz com que ele reviva, saindo do laboratório para encontrar Sophie, uma das Stepford, que foi morta no mesmo dia que ele. Sofrendo pelo ocorrido, resolve ir atrás da Força para ressuscitar, também, sua amada. Não posso deixar de comentar que a arte é incrível, todos os personagens estão mais sexys que nunca. Só pra lembrar, duas irmãs Stepford já foram mortas: Esme, por Magneto/ Xorn (X-Men #39 e #40) e Sophie, durante a Rebelião do Instituto (X-Men #29). Sobrando Celeste, Phoebe e Mindee. Uma observação, também, o corpo de Quentin havia explodido ou algo do gênero, quero ver como vão explicar sua volta.

Mutopia X #1 Mutopia X #2

Mutopia X: agora sim uma série ligada diretamente com Dinastia M, ocorrendo na realidade criada pela Feiticeira Escarlate. Não sou muito fã de realidades alternativas, com exceção dos Exilados, e não achei a história com grandes propósitos. Além de apresentar a nova realidade, onde os mutantes dominaram a raça humana, conta sobre Ismael Ortega, um sapien, e sua relação com o mundo exterior, conciliando família, amante, e os problemas com uma sociedade mutante opressora. Premissa legal, mas que parece não ter sentido algum para a cronologia oficial. Vamos ver no que vai dar.

Fazia tempo que não lia edições tão boas quanto essas. Surpreendentes X-Men mitou com o Professor dentro de um caminhão atropelando Perigo, incrível. Assim como o segredo de Emma e sua presença em Derradeira Canção da Fênix, numa cena ela se transforma em diamante e retira os óculos do marido, não sendo atingida por suas rajadas e vendo seus olhos de verdade. Uma cena muito boa. As demais séries, apesar de não brilharem tanto, ainda foram boas leituras, com destaque para o passado do Professor em Excalibur e a presença de Tamarak em Exilados.

nota 8

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comments

comments

Estudante de Artes, consumidor compulsivo de HQs, amante da psicodelia, sonhos, nonsense, teorias da conspiração e colagens. Um mutante. Autor da Central dos Sonhos. + www.filfelix.com.br