[Eu Vi] A Via-Láctea (Oscar 1941 de Curta Animado) !

[Eu Vi] A Via-Láctea (Oscar 1941 de Curta Animado) !

a-via-lactea-curta-capa
.
Nome Original: The Milky Way
Direção/ Ano: Rudolf Ising, 1940
Roteiro/ Estúdio:  Rudolf Ising / Metro-Goldwyn-Mayer
Duração: 8 minutos
Sinopse: Três gatinhos ficam sem tomar leite no jantar por terem perdidos suas luvas e acabam indo até a Via-Láctea.
.
Continuando a série de especiais que reunirá os vencedores desta categoria tão obscura do Oscar, ano por ano. Leia o post [Especial] O Oscar de Melhor Curta-Metragem de Animação para conhecer um pouco da trajetória do prêmio pela Acadêmia  e o Índice dos Curtas para os já comentados.

A Via-Láctea foi a primeira animação não-Disney a vencer a categoria, depois de 8 anos dominados pelo estúdio do Mickey que, curiosamente, sequer recebeu uma indicação em 1941, após finalizar sua série de Sinfonias Ingênuas com O Patinho Feio. No mesmo ano concorreram Puss Gets The Boot (também da MGM e dirigido por Rudolf Ising), primeiro filme do Tom & Jerry e da parceria William Hanna e Joseph Barbera; e A Wild Hare (Warner), o primeiro filme “oficial” do Pernalonga. 


A história é sobre três gatinhos que, ao voltar para casa, avisam à Mamãe Gato que perderam suas luvas, ficando todos de castigo e sem leite no jantar. Tristes e olhando para o céu, resolvem entrarem numa cesta com três balões e voarem até a Via Láctea. Lá, descobrem um paraíso feito de leite. Mamadeiras, chupetas, rios, cachoeiras, pires e baldes de leite para os gatinhos se esbanjarem.

Uma animação bastante simpática e agradável de assistir, mas sem muito diferencial. Foi inspirada numa cantiga americana de 1843 e, coincidentemente, a narração é cantada e um dos destaques do curta. Posteriormente, alguma cenas foram censuradas devido seu conteúdo considerado “inapropriado” para desenhos da época. Traduzindo, o pessoal viu com maldade as jorradas de leite saindo de chupetas e mamadeiras ^^.

 
nota 6,5 [
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comments

comments

Estudante de Artes, consumidor compulsivo de HQs, amante da psicodelia, sonhos, nonsense, teorias da conspiração e colagens. Um mutante. Autor da Central dos Sonhos. + www.filfelix.com.br