[Especial] Tio Patinhas: A Rainha de Sabá e Meu Décimo Sexto Milhão!

[Especial] Tio Patinhas: A Rainha de Sabá e Meu Décimo Sexto Milhão!

Arcos Principais: A Rainha de Sabá (Queen of Saba) e Meu Décimo Sexto Milhão (Il mio sedicesimo milione).
Publicação Original/ Brasil: Ur Farbror Joakims skattkammare 9 e Topolino #3201 (Walt Disney, 1992/ 2017)/ Tio Patinhas #627 (Abril, 2017).
Roteiro/ Arte: Francesc Bargadà Studio e Fausto Vitaliano/ Urios e Stefano Intini.

Das mensais Disney que ando lendo, a do Tio Patinhas vem sendo uma das minhas preferidas. A última edição, Especial História da Arte, foi bem interessante e a desse mês trouxe outras duas histórias principais inéditas: A Rainha de Sabá, publicada originalmente na Noruega/ Suécia em 1992; e Meu Décimo Sexto Milhão, da série Todos Os Milhões do Tio Patinhas, que vem sendo publicado na Itália. Além de trazer a curtinha e também inédita Primavera… Bah! pra finalizar o mix. O legal é que as duas principais possuem dois estilos de desenhos bem distintos, mostrando a diversidade que as HQs da Disney pode tomar. Review especial sem spoilers!

A RAINHA DE SABÁ

Tio Patinhas, Donald e seus sobrinhos estão passeando no Marrocos quando, por um acidente, acabam entrando numa loja de antiguidades e descobrindo um pergaminho que pode ser um mapa deixado pela Rainha de Sabá, contando onde estão escondidos os seus diamantes. Claro que o Patinhas já arregala o olho e pega o pergaminho, partindo numa aventura em busca desse tesouro. O roteiro ficou por conta de Francesc Bargadá Studio com desenhos de Urios, com destaque para as cores e os detalhes dos locais por onde a equipe passa. A feira de Marrocos, por exemplo, é recheada de roupas, acessórios, barracas, pessoas. Num outro momento vemos uma cena com aqueles famosos tanques de tingir tecidos, tudo muito bonito. Essa história faz parte de um especial em que o Tio Patinhas viaja pelo mundo, com algumas delas publicadas por aqui (como Manhattan na #625 e O Furto Do Picasso De Barcelona na #504). A busca pelos diamantes leva o Tio Patinhas a passar por várias situações engraçadas, morro de rir cada vez que o Donald se refere a ele como “velho sovina”, já que ele tenta comprar tudo que vê pelo caminho, super pechinchando e passando a perna nos outros.

A princípio imaginei que se passaria na própria época da Rainha de Sabá, com uma versão pato dela, mas ela ocorre na atualidade. Também aparecem os Irmãos Metralha, os ladrões que sempre ficam de olho no dinheiro do Patinhas, perseguindo o grupo pra tentar encontrar os diamantes. Perto do final, eles chegam num deserto onde a moeda de troca são “filhotes de camelo”, rendendo outras situações cômicas, já que as patacas do milionário não servem de nada. Apesar de longa, é uma história legal e que poderia ter ganho uma chamada na capa dessa edição. Como comecei a ler Disney agora, é interessante perceber o status quo de alguns personagens e ir pegando melhor as referências, como Huguinho, Zezinho e Luizinho sendo os escoteiros-mirim e auxiliando a decifrar o pergaminho do tesouro.

O DÉCIMO SEXTO MILHÃO

Na Italia vem sendo publicada uma série chamada Todos Os Milhões do Tio Patinhas, onde cada história narra como ele conseguiu suas patacas, milhão a milhão. Nessa edição temos o 16º Milhão, com ele reunindo os sobrinhos e Donald pra contar sua aventura. Interessante que a arte é bem diferente da Rainha de Sabá, com desenhos de Stefano Intini, numa pegada mais cartoon e “solta”. O roteiro é de Fausto Vitaliano e mostra outra caça ao tesouro, mas um pouco diferente. Tio Patinhas entrou no ramo de patentes e viu que não deu muito certo, mas resolveu ir pessoalmente doar uma espécie de cano microscópico que seu funcionário Nooley criou, chegando numa cidade costeira onde um lago no topo de uma montanha está prestes a transbordar, precisando da ajuda de todos. É nessa cidade, também, onde há a lenda de um baú de tesouros, deixado pelo famoso Pirata colecionador Sir William Dedo-de-Moça, atiçando mais uma vez a ganância do Patinhas.

Há um “quê” de Chaves, como o Patinhas contando sua história a partir de um álbum de fotos, ou dos Piratas caricatos. A história curtinha, Primavera… Bah!, aparece Dona Cotinha ajudando nas finanças da Caixa-Forte e comemorando a chegada da Primavera, enquanto o Patinhas, ranzinza como de costume, começa a reclamar. Mas, inesperadamente, ele vai dar um passeio e passa a ser contagiado pelo espírito da estação, com direito a comprar até um chapéu novo! Tio Patinhas #627 foi uma leitura bacana, com momentos engraçados e uma bela arte (em especial a primeira), com histórias inéditas focando no grupo do velho sovina, seu sobrinho Donald e as crianças.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comments

comments

Estudante de Artes, consumidor compulsivo de HQs, amante da psicodelia, sonhos, nonsense, teorias da conspiração e colagens. Um mutante. Autor da Central dos Sonhos. + www.filfelix.com.br