[Review] Batman - A Máscara do Morcego!

[Review] Batman – A Máscara do Morcego!

Batman - A Máscara do Morcego capa

Nome Original: Batman: Masque
Editora/Ano: Brainstore, 2002 (DC, 1997)
Preço/ Páginas: R$7,90/ 68 páginas
Gênero: Ação/ Super-Herói
Roteiro/ Arte: Mike Grell
Sinopse: Na Gotham City da virada do século, uma jovem estrela do balé atrai um admirador, um predador cuja paixão guia-o pelos caminhos da obsessão e da violência. A bela Laura Avian torna objeto de afeição tanto do bilionário Bruce Wayne, quanto do sombrio Batman, um vigilante que protege as ruas de Gotham. Mas logo, ela se tornará o alvo da violência, quando seu admirador descobrir que existem rivais pelo seu amor.

***

Batman – A Máscara do Morcego foi lançado originalmente pela DC em 1997 para o selo “Elseworlds“, que trata de realidades paralelas. Entre as traduções que obteve por aqui, as mais conhecidas são “Túnel do Tempo” e “Realidade Alternativa”, este último adotado pela Brainstore nessa edição. As histórias deste selo sempre trazem heróis e vilões clássicos em outras eras, outras personalidades e papéis. Um bom exemplo é Super-Homem – Metrópolis, que gostei muito.

Batman - A Máscara do Morcego página 1

Ambientado no começo do século XX e tendo como pano de fundo a Ópera de Gothan, “A Máscara do Morcego” apresenta uma Cia. de Teatro tentando encenar “A Máscara da Morte Rubra“, de Edgar Allan Poe, mas cujas estreias são sempre acompanhadas por tragédias. Dent interpreta um bailarino que sofreu um acidente que desfigurou metade do rosto; Bruce Wayne é um magnata apaixonado pela bailarina principal da peça, dividindo sua atenção com a “máscara”, seu alter-ego.

Em matéria de história, Mike Grell é bastante consistente, entregando cenas bem construídas e o famoso embate de personalidade do Batman, ficando entre o dever com a máscara e seu coração. Além da peça de Poe, há todo um clima de Fantasma da Ópera, você consegue imaginar até as músicas de fundo. Apesar de começar um pouco forçado, a HQ se desenvolve muito bem, com um final bastante maduro.

Batman - A Máscara do Morcego página 3

Agora a arte, já é um comentário aparte. De início, ela é muito bizarra. Não sei se foi da impressão, pois os traços parecem explodir, como se ampliaram o original. Depois você se acostuma, mas num primeiro momento chega a ser estranho. Mike Grell também assina os desenhos e você percebe que é um autor bastante “antiquado“, mas no bom sentido. Toda a vibe da HQ é antiga, parecem aqueles livros de romance que vende em banca, com fotografias sensuais na capa. Sabe?

O próprio Grell é um expert nesse gênero, ele teve uma série de espionagem ao estilo 007 nos anos 80 chamada Jon Sable Freelance, com alguns volumes lançados aqui. O embate de Bruce contra ele mesmo; os atos de heroísmo, pulando no palco, salvando a mulher indefesa; o vilão desfigurado; são coisas bem típicas. Mesmo assim, é uma boa leitura.

Batman - A Máscara do Morcego página 2

Aos fans do Morcego, é uma HQ indispensável. Um Batman retrô, com direito a balé, opera, figurinos exuberantes e, principalmente, por trazer uma cena de romance incrível: quando a bailarina acorda em seu quarto/ caverna, usando apenas uma camisola, e conversa com ele. Muito bem escrita e o ponto alto da arte de Grell. A HQ me ganhou nessa cena, uma construção incrível. O acabamento é off-set no miolo e com capa numa espécie de couché, mas fosca. Sem numeração de páginas ou extras, porém a contra-capa é muito elegante.

nota 8

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comments

comments

Estudante de Artes, consumidor compulsivo de HQs, amante da psicodelia, sonhos, nonsense, teorias da conspiração e colagens. Um mutante. Autor da Central dos Sonhos. + www.filfelix.com.br