[Review] Arma X #1 !

[Review] Arma X #1 !

arma-x-231-capa
Nome Original: Weapon X: The Draft – Sauron; Weapon X: The Draft – Wild Child 
Editora/Ano: Panini, 2003 (Marvel, 2002)
Preço/ Páginas: R$2,90/ 52 páginas
Gênero: Ação/ Super-Herói
Roteiro: Buddy Scalera; Matt Nixon
Arte: Karl Kerschl; Ethan Van Sciver
Sinopse: A guerra entre Homo sapiens e Homo superior se aproxima, e é hora do recrutamento. O programa Arma X busca novos mutantes dispostos a traírem a própria raça e lutar ao lado do homem. E só há duas alternativas possíveis para a convocação: aceitar… ou morrer! E entre os candidatos estão Emma Frost, Solaris e Aurora!
***

A Panini, quando assumiu as publicações Marvel, lançou duas revistas dos X-Men para abranger o maior número possível de histórias, totalizando 8 séries por mês. Infelizmente (ou felizmente) o número de séries relacionadas aos mutantes é bem maior que isso, sem contar os especiais. Eis que surge o mix Arma X em outubro de 2003, depois de quase 2 anos de X-Men e X-Men Extra, composto por duas histórias ligadas à minissérie Arma X (Weapon X). Posteriormente o mix aumenta de página e começa a publicar as minisséries da Emma Frost e da Mística. Com o passar do tempo o titulo “Arma X” foi deixando de fazer sentido, devido tantas séries paralelas, e a Panini cancela a revista no número #14 e lança, em dezembro de 2004, o mix Wolverine (ainda em publicação).

Interessante comentar o “boom” que o programa Arma X gerou nessa época. Além de sempre presente na série solo do Wolverine, o programa também estava aparecendo em Novos X-Men. A proposta dessa nova minissérie é trazer de volta velhos personagens em situações de risco extremo. Bem… temos os personagens esquecidos e a violência, mas o resultado chega a ser cômico. O Diretor tem uma nova equipe de mutantes e pede à eles que tentem recrutar outros, por bem ou por mal, para propósitos ainda misteriosos. 

Arma-X-231-sauron-weapon-xSauron: a primeira história é protagonizada pelo dinossauro Sauron, responsável por tentar capturar a Emma Frost e Jack, um telepata novo. Karl Lykos tem síndrome de Hulk, sempre falando em 3ª pessoa, além de um bobalhão. O roteiro é de Buddy Scalera (Deadpool), cheio de situações “wtf?”; o encontro de Sauron com a Rainha Branca é hilário. Os desenhos são de Karl Kerschl (Secret Six), bem “redondos” e chega a lembrar o estilo do Frank Quitely. Perto do final somos apresentados à Jack, um mutante que se “despedaça” e pode ler mentes. O encontro chega a ser mais nonsense que o anterior. Todo esse clima “comédia” deixa a história leve e carismática, mas tira toda a credibilidade da série.

Arma-X-231-selvagem-weapon-xSelvagem: a segunda história é protagonizada pelo Selvagem, um mutante mistura de Gremlim com Nosferatu, responsável por capturar a Aurora, recentemente sequestrada e colocada num manicômio. Ela ficou um pouco desorientada (além de careca) e não foi relutante. Os dois já tiveram um romance no passado e ele fica relembrando, fugindo da missão. O roteiro é de Matt Nixon (Motel Hell), e é praticamente um “A Bela e a Fera”. Em paralelo temos Dentes-de-Sabre tentando capturar o Solaris. Os desenhos são de Ethan Van Sciver (Novos X-Men), com cenas detalhadas e bastante sangue.

Arma X #1 custa R$2,90, possui 52 páginas e miolo pisa-brite. Possui um editorial e as capas originais reproduzidas em tamanho normal. Apesar do clima cômico, a arte de ambas histórias é boa e se destacam; fica a expectativa da próxima edição, com a volta da Medula e descobrir se esse será o ritmo da série ou se ficará “séria”.

nota 6,0 w
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comments

comments

Estudante de Artes, consumidor compulsivo de HQs, amante da psicodelia, sonhos, nonsense, teorias da conspiração e colagens. Um mutante. Autor da Central dos Sonhos. + www.filfelix.com.br